Mais de 70% da bancada baiana vota pela criação do fundo público de campanha

Entre os 39 deputados que compõem a bancada baiana na Câmara dos Deputados, 30 foram favoráveis à criação do Fundo Especial de Financiamento de Campanha estimado em R$ 1,7 bilhão para as eleições do ano que vem. O resultado, cuja aprovação foi confirmada em votação na noite desta quarta-feira (4), foi alcançado em uma votação considerada suprapartidária, já que há parlamentares de legendas alinhadas à esquerda, ao centro e à direita. A expectativa que se tem em relação ao fundo público é a redução da corrupção e do tamanho das campanhas. “Residiu no financiamento privado a maior parte dos problemas que levaram à judicialização de boa parte da política. (…) O fundo não retira nenhum recurso de políticas públicas, nem saúde, educação ou outra área. Utiliza-se de recursos que já circulam no custeio da democracia brasileira”, disse a deputada Alice Portugal (PCdoB) em defesa do fundo. Além da comunista, votaram pela medida os seguintes deputados: Afonso Florence (PT), Antonio Brito (PSD), Arthur Oliveira Maia (PPS), Bacelar (Podemos), Bebeto Galvão (PSB), Benito Gama (PTB), Cacá Leão (PP), Caetano (PT), Claudio Cajado (DEM), Daniel Almeida (PCdoB), Davidson Magalhães (PCdoB), Elmar Nascimento (DEM), Félix Mendonça Júnior (PDT), João Carlos Bacelar (PR), Jorge Solla (PT), José Carlos Aleluia (DEM), José Carlos Araújo (PR), José Nunes (PSD), Jutahy Júnior (PSDB), Lucio Vieira Lima (PMDB), Marcos Medrados (Podemos), Nelson Pellegrino (PT), Paulo Azi (DEM), Paulo Magalhães (PSD), Roberto Britto (PP), Ronaldo Carletto (PP), Sérgio Brito (PSD), Valmir Assunção (PT) e Waldenor Pereira (PT). No geral, a criação do fundo foi aprovada por 233 votos sim e 209 não. Houve três abstenções entre os 445 votantes, segundo dados do Uol. Entre aqueles contrários à medida estão os baianos Erivelton Santana (PEN), Fernando Torres (PSD), João Gualberto (PSDB) e Uldurico Junior (PV). O Bahia Notícias tentou contato com estes parlamentares, mas não conseguiu resposta. O Fundo Especial de Financiamento de Campanha deverá ser custeado pela compensação fiscal dos recursos pagos a emissoras de rádio e televisão por propaganda partidária em ano eletioral, por multas aplicadas a partidos políticos pela Justiça Eleitoral e por 30% do valor das emendas impositivas de bancadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *