Prefeitos fecharão prefeituras e participarão de mobilização pró-município em Salvador

Prefeitos de todo Estado estarão em Salvador nesta quinta-feira, dia 26, em um ato que terá concentração às 8h na UPB com marcha às 8h30 para a Assembléia Legislativa da Bahia (ALBA), que reivindicará mais apoio financeiro para as prefeituras, que fecharão as portas, mas manterão os serviços essenciais.

Mais de 300 prefeitos já confirmaram presença, entre eles, a prefeita Suka Carneiro de Ubaitaba, Liu Andrade de Aurelino Leal, Gracinha Viana de Maraú e Antonio de Anízio, presidente da Amurc e prefeito de Itacaré.

Veja o que diz Fernando Gomes, prefeito de Itabuna:

Entre as reivindicações está, a Edição de Medida Provisória para garantir o Auxílio Financeiro aos Municípios (AFM), no aporte de R$ 4 bilhões, a fim de possibilitar que as administrações municipais fechem as contas do ano de 2017; Repasse imediato dos Royalties do Petróleo pelo Governo do Estado para os municípios baianos; Reajuste dos repasses dos Programas Federais e Estaduais; Agilidade na aprovação de Propostas de Emendas e Projetos de Lei em tramitação na Câmara dos Deputados e Senado Federal que podem modificar positivamente a realidade enfrentada pelos municípios.

“O momento é de união entre todos os prefeitos para a construção deste movimento. Neste momento não há cor partidária. A bandeira que ora empunhamos é do Movimento Municipalista e a necessidade deste movimento em dialogar com o Estado, mas especialmente com os seus munícipes, pois, não podemos continuar de pires na mão, sem a mínima condição de atender ao nosso povo”, disse Antonio de Anízio.

O presidente da UPB afirmou que o movimento também reivindica do Estado o pagamento dos royalties do petróleo. “O único Estado que não paga é a Bahia e nunca pagou, em nenhum governo nunca pagou. Tem 25 anos que foi instituído esse fundo, desde quando instituiu todos os Estados repassam para os municípios, menos a Bahia. A lei determina que 25% do que entra no Estado é devido ao município e nenhum governador até hoje pagou”.

Mesmo fazendo parte da base do Governo, Eures explicou que vai reivindicar o que é de direito dos municípios: Nossa reivindicação não tem caráter político, esse movimento não tem caráter partidário, o que é governo, o que é oposição. É um movimento municipalista em prol dos municípios.

Ainda na quinta-feira, às 15h, os prefeitos se reúnem com os deputados federais e os senadores no auditório da UPB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *