Taperoá: Prefeito cancela Festa de São Brás devido a desvio de verbas cometido por Toinho do Banco (PT)

Segundo uma decisão do TCM, a má condução do município pelo ex-prefeito Toinho do Banco (PT), acarretou em grandes problemas para a Gestão atual do Prefeito Rosival Lopes de Taperoá-Ba

O prefeito de Taperoá, Rosival Lopes recebeu uma decisão do TCM – Tribunal de Contas dos Município, onde a mesma aponta desvios de verbas cometidos por Toinho do banco no ano de 2016, trazendo consequências graves ao município agora e 2018. Segundo a decisão a atual gestão terá que devolver as contas da educação (FUDEB) e a cotas de royalties um valor estimado de quase 580 mil reais, somados ainda com uma multa de 16 mil reais que deverá ser paga pelo ex-gestor. Para infelicidade do Prefeito atual Rosival Lopes e tristeza da população, esses quase 600 mil reais fica a cargo da atual gestão em pagar e por conta disso os festejos foram cancelados.
Infelizmente a decisão fala ainda sobre o não pagamento do mínimo devido aos professores, não aplicação dos 15% da saúde entre outros assuntos que podem ser conferidos no teor da decisão.

O documento do TCM é público e qualquer pessoa pode ter acesso pela internet e Toinho do Banco já se manifestou em suas redes sociais, em uma tentativa de se livrar da culpa. Ele se contradiz em suas palavras, ao afirmar que deixou dinheiro em caixa, onde podemos observar nos altos da decisão que isso não é verdade, além de afirmar sua irresponsabilidade falando que nunca pagava nenhum tipo de multa.
Com esse ato o prefeito Rosival será criticado, mas se for analisado esse foi um ato responsável, assim ele sela um caráter de compromisso e honestidade com o município. O comércio local não deixará de ganhar dinheiro, ao contrário, com o pagamento dos servidores em dia, o dinheiro circula na cidade fazendo com que as pessoas honrem com seus compromissos, e os recursos poderão ser aplicados devidamente. Lembrando que de qualquer forma a devolução dessa verba
astronômica acarretará implicações a gestão como ter que retirar verbas que poderiam ser aplicadas em benefício do povo para ter que pagar essa dívida de Toinho, mesmo que ainda seja parcelada.

Claro que o cancelamento traz um ar de tristeza, uma festa tradicional não poderá ser realizada. Lembramos que há 3 anos os festejos também foram cancelados por conta das enchentes que devastaram o município naquela ocasião. Mas Toinho tinha em suas mãos os governos Municipal, Estadual e Federal e nada fizera para ajudar a população nem tão pouco os comerciantes, claro que o motivo daquele fatídico ano não se compara ao motivo do cancelamento da festa este ano, mas as consequências drásticas que Toinho do Banco deixou para responsabilidade de um nova gestão e para o povo taperoense se igualam a qualquer cataclismo existente.

Fonte: Baixo Sul ON-LINE.COM